Menu fechado

Prepare a criança antes de mudar de escola

Seja por qual for o motivo, muitas vezes é necessário mudar o filho de escola.

Como muitas coisas na vida, essa mudança tem um lado bom e outro ruim. Trocar de ambiente, professor, deixar antigos coleguinhas, isso tudo pode ser estressante e ansiogênico para as crianças.
O preparo nessas horas vai fazer uma grande diferença. Toda ansiedade advém de uma insegurança, e situações que nunca vivemos – como estudar numa escola nova, vai naturalmente trazer um pouco de ansiedade.

Lembre-se: isso significa que a criança é saudável! Estranho seria se ela sequer se importasse com essa mudança. Então, leves mudanças de comportamento e até um eventual choro podem ser normais, bom sinal.

O que você pode fazer para ajudar seu filho a se adaptar com o novo ambiente?

Para ajudar a criança a diminuir a ansiedade incentive-a a se “apropriar” da situação. Inclua a criança no processo de escolha, incentive e participe de uma pesquisa sobre a instituição, busque saber que crianças estudam lá, quem sabe existem algumas conhecidas.

Leve-a a visitas prévias ao local, se possível conheça, junto dela, as pessoas que trabalham lá, principalmente os professores. Naturalmente nossa ansiedade diminui quando conhecemos mais a fundo o desconhecido que viveremos.

Explique a nova rotina e procure manter as demais atividades da criança o máximo possível, para que se evitem muitas mudanças ao mesmo tempo.

Segurança é tudo neste momento. Então passe-a para o seu filho!

Se você, adulto, estiver tranquilo e seguro, conseguirá passar mais segurança, portanto lembre-se sempre dos motivos que levaram à mudança, que, afinal, é para o bem. Conte esses motivos para a criança e a encoraja, lembrando-a de como ela já iniciou em uma escola nova outras vezes e como se acostumou. Fortaleça seu filho para o enfrentamento do “novo” agindo com naturalidade e sem fazer uma “tempestade num copo d`água”, por exemplo, falando sobre o assunto durante o tempo todo ou se excedendo de alguma outra forma. Essa é uma grande oportunidade de fortalecimento que a criança terá, e como talvez todo fortalecimento, existe uma fase de “saída da zona de conforto”, que, apesar de dura, pode ser muito construtiva.

Carolina Moreira é neuropsicóloga e mestre em Psicologia. É psicóloga clínica na Universidade Federal de Uberlândia. Tem treinamento em ansiedade, depressão e terapia cognitivo-comportamental pelo Beck Institute e pelo Oxford Cognitive Therapy Centre. CRP 04/27390