Menu fechado

Depressão infantil, não parece, mas é

Nem todo mundo sabe, mas crianças bem pequenas podem ter depressão. Crianças que acabaram de sair das fraldas podem apresentar esse transtorno de humor, que, como nos adultos, podem causar muito sofrimento.

Os sintomas de depressão na infância podem não ser parecidos com os de adultos, o que dificulta muito o diagnóstico correto e a tomada de atitude para ajudar a criança em sofrimento. Ao invés de triste, a criança pode ficar irritada, muito preocupada ou agressiva. Pode ficar muito inquieta, gritar muito, ter crises de choro sem razão ou, em outros casos, ficar apática e sem energia. Pode reclamar dores físicas frequentemente, mudar seu comportamento e passar a apresentar dificuldades cognitivas (de raciocínio). A tristeza também pode estar presente.

As causas da depressão na infância são variadas, a hereditariedade e fatores de personalidade contam muito, mas as principais causas são ambientais, ou sejam, vivências estressantes, crises familiares ou problemas na escola, como bullying. O fato é que a criança em depressão precisa muito de ajuda e a família tem que estar atenta, pois a criança não consegue comunicar o que sente com facilidade. Caso acredite que a criança está em depressão, é importante que a família procure um bom psicólogo. A psicoterapia é muito importante nesses casos e o resultado costuma ser tão positivo que dispensa o tratamento medicamentoso. Um bom tratamento psicológico envolverá toda a família e escola em mudanças que deverão ajudar a criança a vencer o transtorno.

 

Carolina Moreira é neuropsicóloga e mestre em Psicologia. É psicóloga clínica na Universidade Federal de Uberlândia. Tem treinamento em ansiedade, depressão e terapia cognitivo-comportamental pelo Beck Institute e pelo Oxford Cognitive Therapy Centre. CRP 04/27390